Como todos os seres vivos, nossos melhores amigos de quatro patas também nascem, crescem e envelhecem. E acabam se tornando mais frágeis, podem desenvolver doenças, têm dores e problemas bastante específicos que aparecem com a idade. Com a chegada da velhice, os cães precisam de atenção especial. Além de todos os cuidados que você já tinha com a saúde e bem-estar do cãozinho, agora ele precisa de adaptações às mudanças comportamentais e físicas que ele terá nessa nova fase. Para você proporcionar ainda mais qualidade de vida e saúde ao seu cão na “terceira idade”, a Livelong separou algumas dicas especiais. Confira!

A idade chegou

Antes de saber quais os cuidados essenciais para o pet senil, é importante saber com qual idade ele já pode ser considerado um idoso. O cálculo é um pouco mais complexo do que aquela velha história que diz que cada ano “humano” representa 7 na vida de um cachorro. Na verdade, a idade varia de acordo com o porte do animal. Os animais de pequeno porte são considerados filhotes no máximo entre 9 meses e 1 ano, médios entre 12 e 14 e cães grandes e gigantes só passam a ser adultos depois dos 18 meses. A fase adulta vai até os 8 anos para os cachorros de pequeno e médio porte, enquanto os maiores só entram nessa classificação até os 6 anos. Veja abaixo como saber qual a idade do seu cão:

A “terceira idade” representa que o animal já viveu em torno de 75% da média de sua expectativa de vida, e os primeiros sinais são o aparecimento de pelos brancos próximo ao focinho e olhos, queda na disposição e dificuldade em fazer alguns tipos de atividades que antes eram mais simples. Isso geralmente começa a acontecer em torno dos 7 anos.

Doenças comuns em cães idosos

Algumas doenças são mais comuns em cães com idade avançada, por isso merecem atenção especial:

  • Obesidade
  • Perda de visão
  • Doenças cardíacas
  • Insuficiência renal
  • Problemas hormonais
  • Artrite
  • Diabetes
  • Câncer
  • Doenças no fígado

Acompanhamento profissional

Quando são idosos, os cães devem fazer visitas mais frequentes ao veterinário para a realização de exames periódicos, como ultrassom, ecocardiograma, raio-x do tórax, verificação da pressão arterial e checagem do sangue e da urina, que poderão contribuir para o diagnóstico precoce de doenças e processos degenerativos. Pelo menos a cada 6 meses, o tutor deve buscar o profissional, que auxiliará no controle dos problemas já existentes e poderá detectar precocemente outras doenças que podem surgir na velhice, oferecendo um tratamento mais rápido e proporcionando mais qualidade de vida ao animal.

Alimentação

Com o avanço da idade, alguns animais passam por alterações hormonais que podem fazer com que o metabolismo fique mais lento, gastando menos calorias. Por isso, é comum que muitos deles engordem, mesmo seguindo a alimentação que tinham quando eram um pouco mais jovens. Isso pode levar à obesidade, que contribui para o aparecimento e também agravamento de outras doenças. O tutor precisa estar atento à quantidade de calorias oferecidas e frequência.

Uma alimentação balanceada é essencial para que o pet tenha saúde nessa fase da vida. Livelong é feita com 90% de carne e vegetais cozidos no vapor. Sem corantes, conservantes, agentes de sabor e glúten, é a nutrição ideal para todas as fases da vida, inclusive para os idosos. Sua fórmula desenvolvida nos Estados Unidos é low carb, ou seja, tem baixa quantidade de carboidratos, o que contribui para a manutenção do peso ideal. Por ser úmida e feita principalmente com proteína, é muito mais agradável ao paladar, um ótimo estímulo para os animais que perderam a dentição e precisam de algo gostoso e fácil de comer. A receita de Livelong também ajuda no ganho de massa muscular e regeneração dos tecidos, além de oferecer as fibras funcionais da batata-doce, que ajudam no bom funcionamento do intestino. Uma alimentação natural que contribui para que seu melhor amigo tenha uma vida mais longa e saudável.

Atividades físicas

Mesmo que estejam mais velhinhos, o cães ainda precisam de exercícios. Mas, com as mudanças físicas que a idade trouxe, você precisa tomar alguns cuidados. O passeio é sempre uma boa opção. A recomendação é que a caminhada seja feita sempre nos horários mais frescos, com ritmo mais baixo do que o normal e tempo também reduzido. Lembre-se que algumas raças têm predisposição a problemas nas articulações, o que pode diminuir a mobilidade, por isso, nada de forçar além do limite. Vá com calma e proporcione um momento agradável ao seu melhor amigo.

Descanso

Ter um cantinho confortável para o descanso é bastante importante para os cães idosos. Coloque uma caminha em um lugar com fácil acesso, em um local longe da umidade, sol e vento. Nessa fase, eles podem sentir dores nos ossos e músculos, têm mais facilidade de desenvolver calos nos cotovelos, já que passam mais tempo deitados, além de terem dificuldade de regular a temperatura corporal, por isso, prepare uma superfície macia, quentinha e aconchegante para que ele possa descansar tranquilamente.

Comportamento

É normal que a idade traga também mudanças comportamentais. Você poderá sentir que o cão se tornou mais carente, por isso ele pode passar a te seguir o tempo todo – mais do que já fazia antes. Ele precisará de bastante afeto, então é importante incentivar que brinque e se divirta, mesmo que ele tenha um pouco mais de vontade de dormir do que quando era jovem. O importante é não deixá-lo isolado da família. Agora, você precisará ter paciência, pois talvez ele não consiga mais obedecer aos comandos como antes, e, mesmo que algumas vezes saiba como deve ser feito, pode ser que não consiga executar. É o caso do xixi. A incontinência urinária pode surgir com a velhice. Como ele não consegue se controlar, pode ser que faça no lugar errado por acidente. Se isso acontecer, não esqueça de relatar ao veterinário. Além disso, tenha calma e ofereça carinho. Broncas, castigo ou gritos não serão mais efetivos e poderão deixar o animal com mais medo, ansiedade e até agressividade.

Você já sabe mais sobre como oferecer qualidade de vida aos cães que já chegaram na terceira idade. Hoje, graças aos avanços da medicina veterinária, tratamentos específicos e alimentação de qualidade, como Livelong, você pode ter seu melhor amigo vivendo mais e muito melhor ao seu lado. Aproveite todos os momentos ao lado do seu companheiro, ofereça cuidado e carinho. Ele irá precisar mais de você nessa fase, mas sem dúvidas a amizade verdadeira que tiveram sempre será uma recompensa.