A composição mineral da dieta dos gatos influencia diretamente em características da urina dos mesmos, isso afeta no desenvolvimento e na prevenção da urolitíase, popularmente conhecida como cálculo renal.

Já foram realizados diversos experimentos, com o auxílio de equações existentes na literatura, com o objetivo de avaliar o pH urinário de gatos, junto com seu equilíbrio ácido-básico, correlacionando-os com a composição química, teores de macro elementos e excesso de bases do alimento. O excesso de bases (EB) nos alimentos possui uma alta correlação com o pH urinário do gato e pode ser calculado a partir da determinação da composição de macro elementos e de aminoácidos sulfurados contidos na dieta (ALLEN & KRUGER, 2000).

O pH urinário influência na formação de numerosos tipos de cristais. Os urólitos de estruvita, por exemplo, se associam a um pH alcalino, já os urólitos de oxalato de cálcio estão associados a um pH ácido (ALLEN & KRUGER, 2000). A redução do pH urinário mostrou-se eficaz na diminuição da incidência na formação de cristais de estruvita, sendo mais importante do que apenas a redução do conteúdo de magnésio na dieta (MARKWELL et al., 1998).

O efeito do alimento sobre o pH urinário é o efeito líquido de seus nutrientes e dos ácidos derivados dos mesmos (ALLEN & KRUGER, 2000). A maior contribuição de ácidos na dieta é dada pela oxidação de aminoácidos sulfurados e pelo balanço de ânions e cátions metabolizáveis (MARKWELL et al., 1998). Os sais minerais produzem um efeito variável sobre o pH urinário, já que são fontes potenciais de ácido ou base. Os óxidos e carbonatos são alcalinizantes, enquanto os cloretos, fosfatos e sulfatos produzem um efeito acidificante (ALLEN & KRUGER, 2000).

Os alimentos para gatos destinados a prevenção de urólitos de estruvita devem levar a produção de urina com um pH entre 6,2 e 6,6 e entre 5,9 e 6,1 para a dissolução deste urólito. Em relação aos urólitos de oxalato de cálcio, estes não podem ser dissolvidos na vesícula urinária, sendo necessária a intervenção cirúrgica para sua remoção e isso obrigada as dietas de prevenção a manter um pH urinário entre 6,6 e 6,8 (ALLEN & KRUGER, 2000).

Qualidade dos produtos Livelong

O pH urinário tem grande influência na prevenção e formação de urólitos, entre outros problemas renais, por isso, a Livelong, junto com profissionais de saúde animal, realizou uma série de testes em uma das mais renomadas universidades do Brasil com o objetivo de alcançar o pH urinário ideal para felinos através de seus produtos.

Os alimentos Livelong são produzidos com carnes de alta qualidade e possuem uma quantidade de proteína e gordura maiores quando comparadas com outros alimentos úmidos. Ou seja, isto resulta em uma quantidade de aminoácidos (metionina e cistina) maior, além de proporcionar uma melhor absorção destes mesmos aminoácidos. Esta combinação de nutrientes associadas de forma equilibrada proporciona um pH urinário ideal para que nossos felinos mantenham uma saúde renal de qualidade.

Confira o gráfico referente ao estudo realizado pela Livelong Brasil na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS):

grafico ph urinario gatos livelong

Ph urinário médio das dietas Livelong durante o ensaio de consumo voluntário

Referências:

ALLEN, T.A.; KRUGER, J.M. Enfermedad Felina De Las Vias Urinarias. In: HAND, M.S.;
THATCHER, C.D.; REMILLARD, R.L.; ROUDEBUSH, P. Nutrición clinica en pequeños
animales. Panamericana, Bogotá, 4 ed., p. 811-845, 2000.
MARKWELL, P.J.; BUFFINGTON, C.T.; SMITH, B.H.E. The Effect of Diet on Lower
Urinary Tract Diseases in Cats. The Journal of Nutrition, v.128, n.12 , pp.2753S-2757S,
1998.
KIENZLE, E.; SCHUKNECHT, A.; MEYER, H. Influence Of Food Composition On The
Urine pH in Cats. American Institute Of Nutrition. The Journal of Nutrition, v.121, p. S87-
S88, 1991
ZENTEK, J; SCHULZ, A. Urinary Composition Of Cats Ia affected By The Source Of
Dietary Protein. Journal of Nutrition. v. 134: p. 2162s-2165s, 2004.